Seja Bem Vindo (a) !

Todas as publicações neste site são de autoria do Analista Fundamentalista Marink Martins (CNPI 1419), não configurando uma casa de análise independente, de acordo com o art. 3º, III, da Instrução CVM 598/2018. 

Espera-se que quanto mais importante e maior for um determinado ativo, maior será o escrutínio por parte dos analistas envolvidos. Assim, é natural esperar que empresas cujas capitalização de mercado supere 1 trilhão de dólares se comporte de forma menos volátil exibindo assim uma maior previsibilidade.

Estaria o mercado de ações norte-americano precificado de forma a refletir um pouso suave perfeito? Penso que este é o questionamento do momento.

Tomo emprestado o título de hoje de um email que recebo diariamente do serviço Zero Hedge Premium -- serviço que assino (junto com outros) com objetivo de agregar valor para estes comentários de mercado. Neste, a casa de análise nos apresenta diversos gráficos ilustrando a semelhança do momento atual na bolsa americana com o ocorrido em outras...

Há indícios de exaustão na bolsa americana. Pudera! Desde o momento em que os índices de atividade econômica e de liquidez começaram a registrar uma significativa melhora -- em meados de outubro do ano passado -- o índice S&P 500 subiu, de forma contínua, aproximadamente 900 pontos! Chegamos a um ponto em que é necessário trazer mais participantes...

Insisto no tema explorado ontem por este ser deveras importante. Não é de hoje que afirmo: o dinheiro para tão aguardada alta nas ações brasileiras já está no Brasil. Ele encontra-se "empoçado" na renda fixa e pode ser observado através do gráfico abaixo em que comparo a valorização histórica do IBOV com as taxas de crescimento do PIB...

Nos dias de hoje, tudo parece ocorrer de forma rápida e intensa. Assim, após um período de forte alta nos índices globais (do fim de outubro ao fim de dezembro), o ano de 2024 se iniciou de forma seletiva, privilegiando um grupo de "descolados": Nikkei 225 (+13%), Nasdaq 100 (+8%), S&P 500 (+5%), Nifty 500 (Índia) (+3%) e Stoxx50 (Europa)...


O que poderá interromper o ciclo de valorização das ações americanas? No vídeo de hoje exploro uma conexão entre a TESLA e o setor de semicondutores. Há sinais de que adversidades observadas no setor de carros elétricos poderão se provar um problema para o mercado em geral. Confira!

A expressão acima tem tudo a ver com o crescimento da lucratividade recém divulgada pela Ferrari. Os consumidores milionários estão com um apetite inusitado, impulsionando grandes marcas e empresas. No vídeo hoje exploro tal tendência e discuto também riscos e oportunidades em um ano que será marcado por importantes eleições ao redor do mundo....

Neste vídeo faço uma comparação entre a euforia vista em 2008 em relação ao Pré-Sal da Petrobras com o que se vem observando nos EUA em relação ao advento da inteligência artificial e seu impacto na precificação de ações.

Julian Brigden, estrategista da Macro Intelligence Partners, recentemente apresentou alguns argumentos indicando que o FED deverá normalizar a taxa básica de juros nos mesmos moldes do que ocorrera durante o período entre 1967 e 1969. Em anexo, segue sua mais recente apresentação.

A estrategista Lyn Alden tem uma visão de mercado bem interessante. Ela está no campo dos "inflacionistas", assim como Louis-Vincent Gave, mas é mantém uma mente bem aberta para investimentos em ativos que dependem de efeitos de rede ("network effects") como as cryptomoedas.


Histórias reais de um trader. Confira os Relatos:

Por que o ouro foi o elemento químico escolhido pela humanidade como reserva de valor? Confira no podcast abaixo:


Faça uma busca nas análises do MyVOL: