Bitcoin - A volta dos que não foram

27/11/2018

Caro leitor,

Esta semana, ou melhor esse semestre, mas essa semana foi pior: está sendo cruel com os investidores em criptomoedas.

Para quem está comprado em bitcoin ou em outras moedas que acredita que possuam tecnologia que possa agregar valor, e estão fazendo uma alocação barbell nesse tipo de ativo, a pouca exposição dá um sono tranquilo para quem a realiza.

Mas se você realiza operações nestes ativos, tome um especial cuidado, pois a volatilidade realizada deste tipo de operação pode dificultar até mesmo a definição de um stop, trazendo uma perda mais danosa do que o esperado. Nisso, com facilidade seu trade pode "virar" investimento, o que certamente não é aconselhável.

Com a queda do preço do bitcoin para abaixo dos 5 mil dólares, na China, há notícias de que mineradores estão jogando as máquinas de mineração no lixo, dado que neste valor, os custos da atividade (energia e computadores) são mais pesados do que o lucro obtido com a mineração do bitcoin.

Abaixo, a estimativa de ganhos da mineração do Ethereum (ETH), a segunda criptomoeda em marketcap.

A empresa de tencologia Susquehanna, da Pennsylvania, calculou o lucro da mineração da moeda em dólares conforme o decaimento do preço da mesma. Muitos universitários da Penn State, segundo a empresa, usando um computador mediano, possuíam um ganho máximo de 147 dólares por mês em junho de 2017, minerando Ethereum.

Agora, para o mesmo universitário - o tipo ideal weberiano do homus economicus dos sonhos de todo economista, que busca minimizar os custos (não tem pra onde correr) e maximizar os ganhos (ninguém quer viver pilhado de red bull e cup noodles) - não está sendo rentável usar a energia e a capacidade de processamento do desktop ou notebook para conseguir essa mesma renda extra.

Acima a rentabilidade da mineração de Ethereum (ETH)

O debate sobre a mineração destas criptomoedas não ser ecologicamente sustentável é relevante, dado que o gasto desta energia supera o consumo total de países não-desenvolvidos.

Na carona da baixa, a fabricante de placas de vídeo Nvidia (se o seu filho é gamer, você já comprou!) sofreu no mercado americano, e declarou que espera uma receita perto do zero no último trimestre do ano em relação às vendas de componentes para mineração de bitcoins.

Essa baixa nas criptomoedas pode ser muito bem outro "buy the dip" ou uma versão digital do filme Onde os Fracos Não Tem Vez. Como o filme já está no ar - no momento o preço de um bitcoin está abaixo de 4 mil dólares - é quem não quiser suportar quedas mais expressivas, pode esperar uma perspectiva mais positiva antes da próxima compra.


Mariana Ratão