Tendências Globais

Talvez você já tenha ouvido esta expressão que é uma tradução livre de "cleanest dirty shirt". Tal expressão se tornou popular pelo mundo após a grande crise financeira de 2008 e se referia ao fato dos EUA se destacarem em meio a um mundo que simplesmente parecia andar de lado.

Escrevi o texto abaixo no dia 8 de fevereiro de 2018, logo após aquele salto na volatilidade global que culminou na quebra de um fundo do Banco Credit Suisse que tinha como foco um produto chamado XIV - Inverse Volatility ETF.

Sublinhado em vermelho, um dos eventos catalisadores - a constatação de que a Microsoft teria violado leis anti-trust. Teria sido a condenação da Microsoft a causa da derrocada nos preços das ações do Nasdaq? Certamente não!

Nesta quinta-feira, você irá ler e ouvir, por todo lado, que com a SELIC a 2,25% ao ano, só restam como alternativa a bolsa e os imóveis.

Neste vídeo, comento a respeito da nova legislação americana, que praticamente impede o acesso chinês a tecnologia necessária para o desenvolvimento da tecnologia 5G.

Neste vídeo, chamo atenção ao enorme potencial apresentado pelas commodities metálicas. Em particular, falo sobre a prata, cujo preço parece ter rompido para cima. Confira!

Não é à toa que há pressa por parte dos republicanos em retomar a atividade econômica nos EUA. Uma normalização da economia poderá amenizar o impacto da pandemia sobre o mercado de trabalho, e quem sabe também, evitar um movimento que pode ser determinante para eleição presidencial do dia 3/nov.

Neste vídeo, argumento que Paulo Guedes deixará seu cargo com base em reminiscências da crise asiática de 97/98 e também com base no trabalho sobre "balance sheet recessions" (recessões patrimoniais) do economista Richard Koo. Confira!