Petrobras – Perspectivas de curto prazo

30/07/2018

Embora você talvez não negocie opções de Petrobras, é muito importante que você busque compreender as forças presentes neste mercado, pois, em muitas ocasiões, é justamente dali que surgem indicadores de tendência para os movimentos futuros das ações da empresa.

E neste sentido, eu que já atuo há mais de 20 anos neste mercado, busco aqui te ajudar interpretando alguns movimentos recentes nos contratos de opções vigentes.

Apesar da forte recuperação no preço das ações da Petrobras, acredito que haja espaço para maiores valorizações. Esta minha afirmação baseia-se na observação de que há uma maior demanda do mercado por "travas de alta". Diariamente, monitoro de perto um gráfico que mede a volatilidade implícita dos diversos contratos vigentes, buscando identificar através de sua forma, se o mercado está demandando mais "travas de alta" ou "travas de baixa". Neste gráfico monitoramos o tal "sorriso da volatilidade", ou, em inglês, "volatility skew". Mas, confesso aqui que não há necessidade de te entediar com estas tecnicalidades.

Indo direto ao ponto, além de um mercado mais "comprador", temos também uma peculiaridade relativa a uma expectativa de que os mercados ficarão, em breve, mais voláteis devido à proximidade das eleições presidenciais. Isso pode ser visto através de uma volatilidade implícita bem mais elevada para os contratos que vencem em novembro/18, mês subsequente ao resultado das eleições. De fato, a volatilidade das opções vincendas está em torno de 40% enquanto as mais longas, as da série K, estão com uma volatilidade implícita acima de 60%.

Se considerarmos que há uma perspectiva de que Alckmin ganhe alguns pontos percentuais nas pesquisas de curto prazo, argumento aqui, de forma probabilística, que as perspectivas para uma valorização das ações da Petrobras são boas.

Neste sentido, o investidor poderá comprar diretamente as ações da empresa. Mas, caso ele queira ser um pouco mais conservador, ele poderá buscar tirar proveito do diferencial de volatilidade supracitado e montar um "spread calendário" que venha lucrar com tal oportunidade.


Marink Martins

Para grande parte da comunidade investidora brasileira, todas as mazelas que afligem a nossa bolsa são oriundas de incertezas fiscais. Ainda que não haja dúvida a respeito de nossa fragilidade fiscal, há outros fatores globais que vem contribuindo para um certo desdém em relação aos ativos brasileiros.

A expressão "The Winner Takes It All" (O Vencedor Leva Tudo!) é velha. Foi título de um dos maiores sucessos da banda sueca ABBA em seu álbum de 1980. Já no mercado de ações foi ganhando tração na medida em que foram surgindo "platform companies" como America Online (anos 90), Yahoo, Amazon Web Services, Google, Facebook, LinkedIn (Microsoft),...

Administrar um ciclo de queda nos preços das ações nunca é fácil. Agora, fazer isso durante um período em que boa parte do mundo vive um período de festa é bem mais difícil. Nos últimos dias, enquanto o índice S&P 500 registrou uma série de recordes de alta, por aqui registramos uma tremenda agonia.

www.myvol.com.br