Qual empresa, dentre as 10 maiores em 2017, irá nos decepcionar nos próximos anos?

22/03/2018

Em meio a turbulência gerada pelo vazamento de informações da Facebook, especula-se que o ímpeto deste longo "bull market" americano já não é mais o mesmo. O setor de tecnologia é definitivamente o último pilar. Salvo um novo movimento de rotação setorial, podemos dizer que o mercado altista depende exclusivamente do setor de "tech".

A tabela acima ilustra as 10 maiores empresas listadas a cada década. Como podemos ver, é muito difícil para uma empresa se manter no topo por muito tempo. Com exceção da empresa Exxon, é notório que vivemos em ciclos. Nos início dos anos 80, as petrolíferas eram dominantes. Já em 90, o domínio era japonês. No ano 2000, a temática era ".com" e fibra ótica, com o domínio da Cisco e outras. Já no fim da primeira década, tivemos o super-ciclo das commodities, com empresas com BHP, PetroChina e Petrobras. Hoje, estamos na era das plataformas. E aí, quem vai dançar em um período de 5 anos???

Vou ser ousado e propor um trade, um long-short (isso aqui não é uma recomendação!!!!)

Valor do investimento: US$100.000

Eu compraria 50.000 em SPY (ETF do S&P 500)

Eu compraria 25.000 em ações da Facebook (FB)

Eu compraria 25.000 em ações da Microsoft (MSFT)

Eu venderia 100.000 em MTUM (ETF de "momentum")


Em suma, eu compro a bolsa+FB+MSFT e vendo os "momentum stocks" (Amazon, Tesla, Nvidia, Netflix, etc).

Isto não é uma recomendação! Operações long/short envolvem risco e não são apropriadas para investidores conservadores. Não tome uma decisão com base no texto acima.


Qual a sua opinião?

É notório que a cada década há uma grande transformação na composição das Top 10 empresas. Se você tivesse que mandar uma das top 10 de 2017 "pro paredão", qual seria sua escolha de eliminação? 

Veja minha aposta abaixo após enviar o seu palpite!

Para grande parte da comunidade investidora brasileira, todas as mazelas que afligem a nossa bolsa são oriundas de incertezas fiscais. Ainda que não haja dúvida a respeito de nossa fragilidade fiscal, há outros fatores globais que vem contribuindo para um certo desdém em relação aos ativos brasileiros.

A expressão "The Winner Takes It All" (O Vencedor Leva Tudo!) é velha. Foi título de um dos maiores sucessos da banda sueca ABBA em seu álbum de 1980. Já no mercado de ações foi ganhando tração na medida em que foram surgindo "platform companies" como America Online (anos 90), Yahoo, Amazon Web Services, Google, Facebook, LinkedIn (Microsoft),...

Administrar um ciclo de queda nos preços das ações nunca é fácil. Agora, fazer isso durante um período em que boa parte do mundo vive um período de festa é bem mais difícil. Nos últimos dias, enquanto o índice S&P 500 registrou uma série de recordes de alta, por aqui registramos uma tremenda agonia.

www.myvol.com.br