Sinais preocupantes vindos do "APAC Economic Cooperation Summit" realizado na Nova Guiné

19/11/2018

Na última sexta-feira fiz um comentário no Facebook no qual disse que um mercado que não sobe em meio a notícias positivas é um mercado fraco. 

A minha colocação se referia ao fato de que a notícia revelada diretamente por Trump na sexta-feira de que os chineses haviam enviado uma carta com diversas concessões aos EUA deveria ter tido como consequência uma alta no índice S&P 500 mais expressiva. 

Contudo, no momento em que escrevo este texto, já ciente do que estava em curso ao longo dos últimos dias em Nova Guiné -- sede do encontro anual da "APAC Economic Cooperation Summit" -- não me surpreende o ceticismo refletido pelos agentes do mercado diante das perspectivas de uma trégua entre os EUA e a China na próxima reunião do G20.

De acordo com o que foi relatado pela Bloomberg, o encontro foi surpreendentemente tenso, com Xi Jinping de um lado e Mike Pence do outro. Os chineses não aceitaram a iniciativa americana de concluir o encontro com a menção de que as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC) devam ser reformuladas pelo fato de que um importante país não está cumprindo com suas obrigações. 

O fato é que o encontro terminou com um clima de guerra fria que poderá retirar alguns pontos no índice S&P 500 conquistados ao longo dos últimos dois dias de pregão da semana passada.

Observe também que o VIX, que é uma medida associada a expectativa de oscilação para o índice S&P 500, está acima de 18% o que representa uma expectativa de variação diária de aproximadamente 1,15%.

Sendo assim, o investidor deve ficar constantemente monitorando o VIX, pois caso ele não caia, será muito difícil que o mercado sustente esses níveis.

Além disso, contribuindo para um possível mal estar global, temos a divulgação de um relatório pela CIA sobre a morte de Jamal Kashoggi, o jornalista árabe que atuava pelo Washington Post e que foi assassinado dentro do consulado árabe em Istambul. 

Há fortes indícios de que tal relatório irá apontar para Mohammed Bin Salman (MBS) como a pessoa que ordenou tal assassinato. 

Neste domingo, em entrevista concedida para a Fox News, Trump já fez seu "hedge" e disse que nunca saberemos se MBS foi ou não o responsável pela morte de Kashoggi. 

Note que tal evento traz consigo diversas ramificações, além da perda irreparável de uma vida. Tal evento tem repercussões indiretas no preço do petróleo, nas relações no oriente médio e no setor de defesa americano.

Para finalizar, esta semana deverá trazer também uma melhor visibilidade com relação ao BREXIT e isso poderá trazer mais volatilidade aos mercados.

Marink Martins