Uma análse do livro O Sinal e o Ruído, de Nate Silver

31/07/2018

Nate Silver é um estatístico americano formado na Universidade de Chicago. Seu livro, "The Signal and The Noise", foi lançado no Brasil com o nome "O Sinal e o Ruído - Por que Tantas Previsões Falham e Outras não". Silver ganhou notoriedade por ter desenvolvido um modelo estatístico, chamado PECOTA, usado para medir o desempenho de jogadores de beisebol. Suas habilidades estatísticas também fizeram com que ele acertasse o resultado das eleições em 49 dos 50 estados americanos em 2008; e em todos os estados em 2012! Parece mágica.

Só que missão de Silver, em seu livro, é justamente a contrária! O objetivo do autor em "The Signal and The Noise" é deixar o leitor consciente da falibilidade de modelos que alegam previr com 100% de certeza um resultado - em todas as áreas do conhecimento. O excesso de dados pode estabelecer correlações engraçadas - um exemplo citado no livro é a impressionante "correlação" por 28 anos entre o bom desempenho da economia americana e resultados dos times da NFL (Liga Nacional de Futebol). Os números aceitam tudo.

Há exemplos de casos notórios de previsões que falharam, como o terremoto do Japão em 2011 - não havia estrutura suficiente para suportar o sismo simplesmente por nenhum da mesma magnitude ter ocorrido antes. É o famoso... "Isso não vai acontecer..."!

Qual é a relação deste tipo de catástrofe... com a economia, bolsa de valores, investimentos, índices de desemprego, papéis de ações? Como possuímos uma vasta gama de dados disponíveis na qual os economistas podem trabalhar, não é difícil que este "ruído" de informações se misture com o "sinal". O "sinal" é a análise cuidadosa e honesta das variáveis corretas, sabendo que os modelos estatísticos apresentam imperfeições, assim como a realidade.

Pensando bem: quem compraria um título da dívida de acordo com o resultado das partidas de futebol? Um absurdo, não é mesmo?

Vamos nos relembrar do absurdo mais recente: a crise do subprime americano que estourou em 2007. Rankeados como "AAA" pela Standard & Poor's, garantias de empréstimos, títulos de hipotecas, CDOs, derivativos, todos interdependentes, ruíram juntos após a inevitável descoberta de que suas garantias na verdade... eram, realmente, suas próprias dívidas. Quando o primeiro elo estourou, a corrente toda foi arrebentada. No Brasil, o IBOV rasgou para abaixo dos 30 mil pontos.

Quem nunca pensou... "Mas aquele papel vai subir - eu tenho certeza! Essa estatal não pode cair, o preço nunca foi abaixo dos 30 reais...vou ficar comprado mais uma semana. A tecnologia dessa criptomoeda é sensacional, logo o mercado percebe, vou lucrar 300%! E aquela commodity, por causa do Trump, o preço vai disparar!".

Bombardeados por notícias incessantemente, nossos sentidos podem causar consequências desastrosas! Somos falhos - nosso cérebro gera nossas certezas "absolutas" de acordo com o que nos agrada. Sendo assim, Nate Silver apresenta dois "tipos" de pessoas: o "porco-espinho" e a "raposa". O "porco-espinho" possui certeza total de sua opinião sobre o que irá acontecer, pois toma como infalíveis suas intuições e sentimentos. A "raposa" analisa o cenário com seriedade e está ciente do "ruído" e suas complexidades - percebendo que o dado como inevitável e impossível pode sim acontecer! Muita cautela.

Seja uma "raposa" e continue acompanhando as nossas análises de livros através do MyVOL.

Mariana Ratão